Como calcular o custo de mercadorias vendidas? Descubra agora!

Precificar o que se está vendendo não é uma atividade simples, porém é crucial para todo profissional que quer garantir que seus custos sejam cobertos. O custo de mercadorias vendidas é um conceito importante para alcançar esses objetivos e garantir que seu negócio gere lucros.

Esse é um cálculo que pode ser usado tanto por empresas como profissionais autônomos, como representantes comerciais, designers, dentistas, entre outros profissionais. Leia, neste post, qual é o conceito desse gasto, sua importância, como calculá-lo e os benefícios de sua aplicação. Boa leitura!

O conceito e a importância do custo de mercadorias vendidas

O custo de mercadorias vendidas (CMV) demonstra quanto um indivíduo — seja fabricante, distribuidor ou revendedor — gastou para vender um bem ao cliente. Ele inclui elementos desde a aquisição até a entrega efetiva ao destinatário final, como:

  • custo investido na aquisição de materiais;
  • serviços realizados em reação aos produtos;
  • lucros obtidos com vendas;
  • custo da logística;
  • mercadorias que não foram vendidas.

Um negócio ou profissional não conseguirá sucesso na venda de um produto calculando somente a quantidade de saídas de estoque, já que é possível sofrer com perdas financeiras nessas vendas.

Por exemplo: imagine que 100 unidades de uma mercadoria precisam ser vendidas em 1 mês, mas 15% delas ficaram encalhadas no estoque, isso reduz o CMV e, no fim, pode não ser vantajoso ao negócio.

Também é importante saber quais elementos não são considerados no CMV, são eles:

  • processos operacionais, como entrega de produtos;
  • despesas empresariais, como de água, luz etc.;
  • taxas, impostos e contribuições;
  • gastos relacionados às vendas, como comissões.

O cálculo do custo de mercadorias vendidas

A fórmula do CMV é simples, utiliza-se a soma do estoque inicial (EI) com as compras do período (C) e subtrai o estoque final (EF). Veja o cálculo:

CMV = EI + C – EF

Se tiveram devoluções pelos clientes, também é necessário subtrair as devoluções de vendas (DV):

CMV EI + C + DC – DV – EF

Imagine que o estoque inicial de um produto totaliza R$ 1000 (EI), nesse período o vendedor adquiriu mais R$ 250 (C) do mesmo produto e, após, terminou o estoque com o equivalente a R$ 200 no estoque (EF). O cálculo do CMV será:

CMV = 1000 + 250 – 200

CMV = 1050

Caso a receita pelas vendas tenha sido de R$ 2000, o lucro bruto do vendedor terá sido de R$ 950.

Os principais benefícios de fazer esse controle de custos

Pelo fato do CMV apontar o total investido nas mercadorias e o retorno bruto da empresa, essa é uma poderosa ferramenta e que traz vantagens relevantes para a boa gestão financeira. Entenda quais são os principais benefícios:

  • economia de recursos: você pode apontar onde estão os maiores custos e tomar medidas para reduzi-los ou reajustar o preço do bem para garantir um retorno justo;
  • organização de documento e finanças: todos os custos do negócio precisam ser registrados adequadamente, caso o CMV aumente, você pode identificar as razões que levaram a isso;
  • otimizar os resultados: quando o profissional conhece os gastos, ele entender quais são os pontos que geram mais retorno ao negócio e maximizam os ganhos;
  • planejamento de investimentos: com maiores lucros, têm-se mais capital para realizar investimentos, aumentar seus retornos e expandir seus lucros.

O custo de mercadorias vendidas (CMV) é uma conta fundamental para garantir que o profissional tenha lucros nas suas vendas. Com esta leitura, você entende como ele funciona e como calculá-lo, poderá aproveitar de seus benefícios.

Faça um comentário no post dizendo o que achou deste conteúdo! Você pode deixar uma opinião, dúvida ou crítica!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *