Crédito emergencial: como funciona e quais cuidados necessários

Em função da crise, profissionais de todos os ramos vêm buscando soluções para sustentar a continuidade de seus negócios. É com isso em mente que elaboramos este post especial, em que destacaremos as principais curiosidades sobre o crédito emergencial.

Caso não esteja atualizado sobre o tema, fique tranquilo pois você está no lugar certo! O nosso objetivo é informar os principais cuidados em torno dessa opção, reforçando o seu planejamento crítico e impedindo que essa solução se transforme em um problema no longo prazo. Agora, acompanhe!

O conceito e finalidade do crédito emergencial

De certa forma, o crédito emergencial tem um nome bem sugestivo. Basicamente, se trata de um empréstimo contraído pelas empresas, sob condições especiais, para garantir a operacionalidade dos seus negócios durante um evento ou período emergencial, ou seja, o momento em que vivemos.

Na maioria dos casos, esse crédito é cedido por algum instrumento estatal, como os bancos públicos, como BRDE, BNDES e até mesmo os próprios Governos do seu Estado. No entanto, também existem linhas emergenciais nos bancos privados, bastando que você atenda aos requisitos e condições impostas por quem oferece esse crédito.

Acesso

O primeiro passo é entender o que você precisa e qual a configuração do seu negócio. Com isso em mente, você filtra as opções disponíveis, requisitando o crédito apenas nas alternativas compatíveis. Um exemplo disso são as linhas emergenciais para custeio da folha de pagamento, que oferecem condições especiais, desde que se respeite as características do programa.

Valores

Vamos tomar essa linha para custeio de folha como exemplo. Basicamente, essa alternativa está à disposição de pequenas e médias empresas, com faturamento entre R$360 mil e R$10 milhões anuais. Uma das condicionantes dessa linha é que o crédito só pode ser usado para o pagamento de folha.

O valor contratado varia, pois o contrato é limitado a até dois salários mínimos por colaborador pelo período de dois meses. Então, em uma empresa de 50 funcionários, considerando o salário mínimo de R$1.045, nessa linha, o empresário poderá contratar um crédito de no máximo R$209 mil.

Taxas

A taxa de juros será de 3,75% ao ano, justamente para evitar o endividamento do setor. Já o prazo de pagamento será estendido por 36 meses. Outra questão interessante é o prazo de carência de 6 meses, permitindo que o empresário só comece a quitar o empréstimo no sétimo mês após sua contratação.

Os cuidados para quem acessar esse crédito

Já aqui, é importante avaliar a alternativa com cuidado, sabendo como se preparar para essa opção.

Planejamento

Independentemente do tamanho do empréstimo, é importante estar preparado para arcar com as suas parcelas no longo prazo. Para isso, reforçamos a importância de um bom controle de contas a pagar e valores a receber, ampliando a sua previsibilidade e segurança.

Organização

Considerando a absorção de um gasto no longo prazo, organize as suas contas para acomodar essa nova obrigação. Para isso, sugerimos um pente fino na operação, identificando excessos e fazendo tudo o que for possível para reduzir custos.

Por conta de tudo isso, mais do que nunca, é importante que você seja amparado por um especialista de contabilidade. Da forma como percebemos, tomar essas decisões financeiras sem considerar a sua estratégia de longo prazo é a maneira mais fácil de perder o seu espaço para a concorrência.

Esperamos que este conteúdo tenha te ajudado! Aproveite para seguir atualizado sobre crédito emergencial e outras soluções para este momento de crise. Para tanto, basta assinar a nossa newsletter!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *