Skip to content

Como gerar o documento de arrecadação do Simples Nacional?

Como gerar o documento de arrecadação do Simples Nacional?

Quem tem uma micro ou pequena empresa ou é microempreendedor individual, MEI, precisa ficar atento ao Documento de Arrecadação do Simples Nacional, DAS, que permite ficar em dia com o pagamento dos impostos relacionados ao seu negócio.

Se você não sabe exatamente como gerar o boleto do Simples Nacional e nem como esse documento funciona, siga conosco!

O que é o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS)?

O Documento de Arrecadação do Simples Nacional, DAS, é uma espécie de “guia” que permite o empresário pagar todos os tributos unificados no regime Simples Nacional.

O DAS considera o valor das notas fiscais emitidas pela empresa no mês para poder apurar o valor do boleto. Quando não é registrado faturamento no mês, a guia não é emitida.

Só no caso do MEI que é diferente. O valor varia conforme o setor de atuação da empresa, ou seja, serviço, comércio ou indústria e é fixo por mês, sofrendo reajustes anuais de acordo com as orientações do Governo.

Como gerar o boleto do Simples Nacional?

Para gerar o Documento de Arrecadação do Simples Nacional não é difícil. Basta seguir os passos abaixo:

  • acesse o site da Receita Federal, especificamente a página destinada à emissão da DAS;
  • no canto direito da tela, clique em “PGDAS-D e DEFIS” e selecione como deseja acessar o sistema, usando um código de acesso ou por meio do certificado digital;
  • se você não tem nenhum dos dois, terá de gerar o seu código de acesso, acessando o link específico para essa finalidade (nesse caso, você terá que fazer o preenchimento com o número do CNPJ da empresa e o CPF do responsável);
  • guarde o código gerado, pois você o usará em todas as operações do Simples Nacional;
  • com o código em mãos ou por meio do certificado digital, preencha os dados solicitados para logar no sistema (CNPJ da sua empresa, CPF do responsável e confirmação de segurança);
  • siga os passos indicados pelo sistema e faça a emissão do seu boleto. O processo é bem simples;
  • após a confirmação, o boleto aparecerá na tela e poderá ser impresso e pago em agências bancárias, lotéricas ou pelo internet banking.

Cálculo do Imposto

O Simples Nacional unifica em uma só guia oito impostos, que são: IRPJ, IPI, CSLL, Cofins, PIS/PASEP, CPP, ICMS e ISS.

Para fazer essa conta, o sistema considera a Receita Bruta Total (RBT) dos últimos 12 meses, a Receita Bruta Mensal (RBM) apurada no mês em questão, a alíquota da parcela a deduzir (PD) do segmento para a faixa de faturamento e a alíquota efetiva.

Para fazer o cálculo pelo sistema:

  • localize a seção “apuração” no PGDAS-D e selecione “calcular valor devido”;
  • insira o mês e ano da apuração dos impostos e clique em “continuar”;
  • informe o valor total da receita apurada no período e, depois, informe a receita bruta no regime de competência ou de caixa;
  • confirme os valores e siga para a apuração informando em quais atividades a empresa obteve receita;
  • especifique os impostos que devem ser apurados para cada modalidade diferente. Por exemplo, se você vendeu produtos e serviços com tributações diferenciadas, precisa apontar a respectiva receita de cada um nesta etapa;
  • após este passo, clique em “gerar DAS”, salve o arquivo, imprima ou pague online.

Como tirar 2º via do boleto do Simples Nacional

Para tirar a segunda via do boleto do Simples Nacional, é só seguir os mesmos passos que explicamos acima.

Dentro do sistema, você também pode verificar se existe algum mês em aberto e proceder com a emissão do boleto para o pagamento, atualizando a guia com os valores certos a serem pagos.

DAS-MEI

Para emitir o boleto do MEI, você deverá:

  • acessar o PGMEI;
  • digitar o CNPJ da sua empresa;
  • clicar em “Emitir Guia de Pagamento (DAS)”;
  • informar o ano calendário;
  • clicar no período de apuração correspondente ao mês e em “apurar/gerar DAS” no final da tela;
  • se você tiver recebido algum benefício do INSS nesse período (auxílio-doença, salário-maternidade ou auxílio-reclusão, por exemplo), precisa clicar em “benefício INSS” antes de gerar a DAS;
  • além de emitir o boleto, você também tem a opção de pagar online, caso tenha conta nos bancos registrados no sistema.

Como pagar o Simples Nacional atrasado?

Atrasar o pagamento do DAS não é uma boa ideia, pois isso poderá trazer consequências à sua empresa, entre elas o pagamento de multa. Seu negócio ainda ficará em débito com a Receita em “descumprimento administrativo”.

Nesse caso, ficará impedido de realizar serviços e procedimentos junto à Receita e também à credores.

Para regularizar o pagamento do DAS, solicite a segunda via diretamente no PGDAS-D, seguindo os mesmos passos que explicamos acima.

Se você não tiver condições de arcar com todo o valor da sua dívida, poderá solicitar o parcelamento pelo sistema do Simples Nacional. Após a autorização da operação, as parcelas estarão disponíveis no PGDAS-D no mês seguinte à solicitação.

Com essas dicas, você já sabe tudo sobre o documento de arrecadação do Simples Nacional? Embora para gerar o DAS, você não precise de contador e possa fazer tudo como explicamos, é importante contar com o auxílio desse profissional para lhe assessorar em inúmeras outras questões, permitindo o crescimento sustentável do seu negócio.

Curtiu este conteúdo? Ajude seus amigos empresários compartilhando nosso post nas suas redes sociais!

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Whatsapp
Fale conosco