Skip to content

5 Sinais claros de que você está pronto para abrir sua empresa

Abrir um CNPJ é um marco significativo na jornada de qualquer empreendedor. Representa não apenas o reconhecimento oficial do seu negócio, mas também traz consigo uma série de benefícios e responsabilidades que moldarão o futuro da sua empresa. No entanto, saber o momento certo para fazer essa transição é crucial para garantir o sucesso e a sustentabilidade do seu empreendimento.

Neste artigo, discutiremos cinco sinais claros de que chegou a hora de abrir um CNPJ. Desde o crescimento do faturamento até a necessidade de emitir notas fiscais e a busca por recursos para expandir seus negócios, examinaremos os indicadores que indicam que você está pronto para dar esse importante passo.

Se você é um empreendedor que está avaliando quando é o momento certo para oficializar sua presença no mercado, continue lendo para descobrir se os sinais apontam para a abertura de um CNPJ. E lembre-se, a equipe da ZIP Contabilidade está aqui para orientá-lo em cada etapa do processo, garantindo que você faça a transição de forma suave e eficiente. Vamos começar!

1. Crescimento do Faturamento

Um dos indicadores mais evidentes de que você está pronto para abrir um CNPJ é o crescimento consistente do faturamento do seu negócio. Se suas vendas estão aumentando de forma estável e você está começando a ultrapassar os limites do faturamento permitidos para microempreendedores individuais (MEIs), é hora de considerar a transição para uma estrutura empresarial mais robusta.

Ao abrir um CNPJ, você terá a capacidade de expandir seus horizontes comerciais, buscar novos clientes e até mesmo acessar linhas de crédito mais favoráveis para impulsionar ainda mais o crescimento do seu negócio.

2. Necessidade de Emissão de Notas Fiscais

Se você está constantemente sendo solicitado por clientes ou parceiros comerciais a emitir notas fiscais, isso é um sinal claro de que está na hora de abrir um CNPJ. Enquanto os MEIs têm limitações quanto ao faturamento e à emissão de notas fiscais, um CNPJ oferece mais flexibilidade e legitimidade nos negócios.

Além disso, a emissão de notas fiscais é essencial para a conformidade com a legislação tributária e para construir uma reputação sólida no mercado.

3. Recursos para Crescer

Quando você começa a sentir que está limitado em termos de recursos para expandir seu negócio, é hora de considerar a abertura de um CNPJ. Com uma estrutura empresarial formal, você terá acesso a uma gama mais ampla de recursos, incluindo financiamento, parcerias estratégicas e oportunidades de crescimento.

Ao abrir um CNPJ, você pode buscar investidores, obter empréstimos comerciais e até mesmo participar de programas de aceleração empresarial que podem impulsionar significativamente o desenvolvimento do seu negócio.

4. Projeções de Longo Prazo

Se você está fazendo projeções de longo prazo para o seu negócio e planejando seu crescimento de forma estratégica, abrir um CNPJ é o próximo passo lógico. Uma estrutura empresarial formal oferece estabilidade e segurança para o futuro do seu empreendimento, permitindo que você planeje com confiança e execute suas metas de longo prazo.

Ao abrir um CNPJ, você estará investindo no futuro sustentável do seu negócio e criando uma base sólida para o crescimento contínuo.

5. Desejo de Profissionalização

Por fim, se você está pronto para levar seu negócio a sério e demonstrar um compromisso com a profissionalização, abrir um CNPJ é o próximo passo natural. Uma empresa registrada transmite credibilidade aos olhos dos clientes, fornecedores e parceiros comerciais, o que pode abrir portas para novas oportunidades de negócios.

Além disso, uma estrutura empresarial formal demonstra comprometimento com a conformidade legal e a ética nos negócios, o que é fundamental para construir uma reputação sólida e duradoura no mercado.

Em resumo, se você está experimentando um crescimento significativo, precisa emitir notas fiscais regularmente, busca recursos para expandir seus negócios, faz projeções de longo prazo e deseja profissionalizar sua operação, é hora de abrir um CNPJ.

Na ZIP Contabilidade, estamos aqui para ajudá-lo em cada passo do processo. Entre em contato conosco hoje mesmo e descubra como podemos ajudar a levar o seu negócio para o próximo nível!

E aí, vamos começar?

Você está pronto para transformar sua ideia em realidade? Abra agora mesmo o seu CNPJ com a ZIP Contabilidade – rápido, fácil e sem custos! Queremos facilitar sua jornada empreendedora e estamos aqui para ajudar.

Se precisar de mais informações ou tiver dúvidas específicas, nossa equipe de especialistas está à disposição para te auxiliar. Aproveite esta oportunidade para conhecer nossos planos

Não deixe para depois, dê o primeiro passo rumo ao sucesso do seu negócio. Abra seu CNPJ hoje mesmo com a ZIP Contabilidade e conte conosco para te ajudar em cada etapa do caminho.

Quanto tempo leva para abrir minha empresa em 2024?

Ao ponderar sobre iniciar um empreendimento, é natural se questionar: quanto tempo leva para abrir minha empresa? Levando em consideração todos os trâmites e burocracias, estima-se que o processo completo de abertura de empresas varie de 30 a 45 dias após a confirmação dos CNAEs (Códigos Nacionais de Atividade Econômica) da organização.

O Brasil tem simplificado e reduzido a burocracia no processo de abertura de empresas, beneficiando todos os envolvidos. Pensando em abrir uma empresa? Conheça o passo a passo gratuito da ZIP Contabilidade, com tudo o que você precisa saber para obter seu CNPJ de forma rápida e segura.

Embora exista um período médio geral para abertura de empresas, é importante destacar que um fator determinante do prazo total depende do estado e cidade onde o processo é realizado. Portanto, utilize isso a seu favor ao planejar a formalização do seu negócio.

O processo tem início logo após a confirmação do CNAE, que representa a atividade exercida pela organização e suas condições, como o enquadramento fiscal no Simples Nacional. Somente após esse processo estar resolvido é que a empresa pode operar oficialmente e emitir notas fiscais para seus clientes.

Quanto tempo demora para abrir uma empresa?

De acordo com números oficiais, em média, leva-se cerca de 4 dias úteis para abrir uma empresa no Brasil (emissão do CNPJ), com variação de cidade para cidade. O processo completo para ter o CNPJ em mãos e poder emitir notas fiscais dura em torno de 30 dias, em média, podendo ser menor em algumas localidades e maior se documentos necessários não estiverem prontos.

O Brasil já foi considerado um dos países com maior tempo para abrir uma empresa, mas essa realidade tem mudado com o tempo, especialmente com a otimização e digitalização do processo. Com o uso de um sistema digital, disponibilizado pela Redesim, o prazo médio foi reduzido, podendo levar até 2 meses no total.

O governo tem como meta reduzir ainda mais esse tempo, visando alcançar a abertura de empresas em apenas 1 dia ou até mesmo 1 hora. Anteriormente, o processo exigia pelo menos 17 dias, algo que impactava significativamente os empreendedores brasileiros.

Apesar das melhorias, o tempo para abrir uma empresa no Brasil ainda é consideravelmente maior em comparação com alguns outros países. O Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) é essencial para a jornada empreendedora e para diversas atividades relacionadas à empresa.

Considerando as etapas para abertura de uma empresa, como solicitação de viabilidade, criação de contrato social, registro na junta comercial, obtenção de inscrição municipal, alvarás e registros específicos, o processo pode levar de 30 a 45 dias no total.

Quanto tempo demora para abrir empresa em cada estado?

O tempo médio para abertura de uma empresa pode variar entre os estados brasileiros, devido às suas próprias burocracias e necessidades específicas. No entanto, é importante ressaltar que uma vez formalizadas, as empresas são válidas em todo o território nacional.

A seguir, apresentamos o tempo médio para abrir uma empresa (emissão do CNPJ) em cada estado brasileiro:

  • Acre (AC): 2 dias e 1 hora
  • Alagoas (AL): 2 dias e 6 horas
  • Amapá (AP): 2 dias e 20 horas
  • Amazonas (AM): 2 dias e 2 horas
  • Bahia (BA): 8 dias e 7 horas
  • Ceará (CE): 3 dias e 10 horas
  • Distrito Federal (DF): 1 dia e 16 horas
  • Espírito Santo (ES): 2 dias
  • Goiás (GO): 1 dia e 10 horas
  • Maranhão (MA): 2 dias e 20 horas
  • Mato Grosso (MT): 1 dia e 23 horas
  • Mato Grosso do Sul (MS): 1 dia e 23 horas
  • Minas Gerais (MG): 3 dias e 16 horas
  • Pará (PA): 2 dias e 20 horas
  • Paraíba (PB): 4 dias e 14 horas
  • Paraná (PR): 3 dias e 8 horas
  • Pernambuco (PE): 4 dias e 21 horas
  • Piauí (PI): 2 dias e 19 horas
  • Rio de Janeiro (RJ): 2 dias e 20 horas
  • Rio Grande do Norte (RN): 2 dias e 1 hora
  • Rio Grande do Sul (RS): 2 dias e 23 horas
  • Rondônia (RO): 2 dias e 1 hora
  • Roraima (RR): 1 dia e 7 horas
  • Santa Catarina (SC): 4 dias e 16 horas
  • São Paulo (SP): 2 dias e 12 horas
  • Sergipe (SE): 1 dia e 7 horas
  • Tocantins (TO): 3 dias e 1 hora

É importante lembrar que o tempo de espera informado na lista não considera todo o processo de abertura da empresa em si, mas sim o tempo de processamento em sua etapa final. Portanto, é bem provável que, na prática, o processo acabe durando mais do que o esperado, o que no geral fica em média de 30 a 45 dias no total.

E aí, vamos começar?

Você está pronto para transformar sua ideia em realidade? Abra agora mesmo o seu CNPJ com a ZIP Contabilidade – rápido, fácil e sem custos! Queremos facilitar sua jornada empreendedora e estamos aqui para ajudar.

Se precisar de mais informações ou tiver dúvidas específicas, nossa equipe de especialistas está à disposição para te auxiliar. Aproveite esta oportunidade para conhecer nossos planos

Não deixe para depois, dê o primeiro passo rumo ao sucesso do seu negócio. Abra seu CNPJ hoje mesmo com a ZIP Contabilidade e conte conosco para te ajudar em cada etapa do caminho.

Fator R para Startups e Empresas Novas: Navegando no Primeiro Ano de Atividade

O Fator R é uma variável crucial no mundo do empreendedorismo, especialmente para startups e empresas recém-criadas. O primeiro ano de atividade é um período crítico, repleto de desafios financeiros e fiscais, e compreender como o Fator R se aplica a esses empreendimentos pode fazer toda a diferença.

Neste artigo, exploraremos o que o Fator R significa para startups e empresas novas, e como navegar por esse aspecto do Simples Nacional durante o primeiro ano de operação.

Vamos analisar o impacto do Fator R nas decisões estratégicas, nas obrigações tributárias e nas finanças das empresas iniciantes. Além disso, ofereceremos insights valiosos sobre como otimizar o planejamento tributário para garantir uma trajetória financeira sólida desde o início.

Se você está iniciando um novo empreendimento ou possui uma startup, continue lendo para descobrir como o Fator R pode influenciar o seu sucesso e como tirar o máximo proveito desse aspecto do Simples Nacional.

Por Que o Fator R é Importante para Empresas Novas?

O Fator R é uma variável de extrema importância para empresas novas e startups por várias razões. Primeiramente, ele desempenha um papel fundamental na determinação da carga tributária que esses empreendimentos enfrentarão. Aqui estão algumas razões pelas quais o Fator R é crucial para empresas em seu primeiro ano de atividade:

  • Impacto nas Alíquotas Tributárias: O Fator R influencia diretamente em qual anexo do Simples Nacional a empresa será enquadrada. Para startups, isso pode significar uma grande diferença nas alíquotas de impostos pagos. Se o Fator R for superior a 28%, a empresa pode ser enquadrada em um anexo com alíquotas iniciais mais baixas, aliviando a carga tributária. Por outro lado, se o Fator R for inferior a 28%, as alíquotas podem ser mais altas.
  • Economia de Recursos: Para empresas novas, especialmente as que estão operando com recursos limitados, economizar em impostos é crucial. Uma correta análise e planejamento do Fator R podem resultar em economia significativa de recursos financeiros.
  • Tomada de Decisões Estratégicas: O conhecimento do Fator R permite que os empreendedores tomem decisões estratégicas informadas. Por exemplo, se a empresa está próxima de cruzar o limite dos 28%, pode ser vantajoso contratar mais funcionários para reduzir o Fator R e, assim, pagar menos impostos.
  • Melhor Planejamento Financeiro: Compreender o Fator R ajuda as empresas a fazer projeções financeiras mais precisas. Isso é fundamental no primeiro ano de atividade, quando o controle financeiro é crucial para a sobrevivência e crescimento.
  • Conformidade Tributária: Estar ciente das regras do Fator R garante que a empresa esteja em conformidade com as obrigações tributárias desde o início. Evitar surpresas fiscais é essencial para manter a saúde financeira.
  • Competitividade: A capacidade de pagar menos impostos pode tornar uma empresa mais competitiva em seu mercado. Isso permite que ela ofereça preços mais competitivos e invista em áreas estratégicas de crescimento.

Cálculo para Empresas com Menos de 12 Meses

Para empresas com menos de 12 meses de atividade, o cálculo do Fator R no Simples Nacional é realizado de forma proporcional aos meses de funcionamento. Aqui está um passo a passo simples para calcular o Fator R em empresas novas:

  • Primeiro Mês de Atividade: No primeiro mês de funcionamento, você deve multiplicar a receita bruta total desse mês por 12. Isso é chamado de “Receita Bruta Total 12 proporcionalizada”. A fórmula é a seguinte:

Receita Bruta Total 12 proporcionalizada = Receita do Primeiro Mês x 12

Esse cálculo é necessário porque sua empresa não tem um histórico de 12 meses para análise.

  • 11 Meses Subsequentes: Nos 11 meses seguintes ao início de suas atividades, você deve apurar a média aritmética da receita bruta de cada mês e multiplicá-la por 12. A fórmula é a seguinte:

Receitas Acumuladas / Número de Meses Corridos x 12 = Receita Bruta Total 12 proporcionalizada

É importante registrar todas as receitas nesse período para o cálculo.

  • 13º Mês em Diante: A partir do 13º mês de atividade, você deve adotar a receita bruta acumulada nos últimos 12 meses anteriores ao período de apuração. Ou seja, você considerará o histórico de 12 meses.
  • Cálculo do Fator R: Com a “Receita Bruta Total 12 proporcionalizada” em mãos, você pode calcular o Fator R usando a fórmula padrão:

Fator R = Receita Bruta Total 12 proporcionalizada / Folha de Pagamento Total 12 meses

Lembre-se de que, para calcular o Fator R, a folha de pagamento considera todos os pagamentos feitos a pessoas físicas, incluindo salários, pró-labore, 13º salário, encargos sociais (como INSS e FGTS), entre outros.

  • Anexo de Tributação: Com o valor do Fator R calculado, você pode determinar em qual anexo de tributação do Simples Nacional sua empresa se enquadra. Se o Fator R for maior que 28%, sua empresa será tributada pelo Anexo III. Se for menor que 28%, será tributada pelo Anexo V.

É importante realizar esses cálculos com precisão e manter registros detalhados das receitas e despesas.

Conclusão

Em conclusão, compreender o Fator R e as alíquotas específicas para empresas novas no Simples Nacional é essencial para qualquer empreendedor que deseje iniciar um novo negócio. O Fator R desempenha um papel crucial na determinação das alíquotas de impostos que sua empresa pagará, e entender como ele funciona pode resultar em economias significativas.

Para empresas que estão em seu primeiro ano de atividade, as alíquotas podem ser mais vantajosas, incentivando a entrada de novos empreendimentos no mercado. No entanto, é importante ter um acompanhamento contábil adequado para garantir que sua empresa esteja aplicando as alíquotas corretas de acordo com seu faturamento e anexo de tributação.

Além disso, realizar um planejamento tributário adequado é fundamental para aproveitar ao máximo os benefícios fiscais disponíveis para empresas novas. Isso envolve a escolha do anexo de tributação mais vantajoso com base na atividade da empresa e projeções de receita.

Em resumo, o Fator R e as alíquotas específicas para empresas novas no Simples Nacional podem oferecer oportunidades importantes para reduzir a carga tributária e otimizar os recursos financeiros de sua startup ou novo empreendimento.

E aí, vamos começar?

Inicie uma conversa com a gente de forma simples e rápida.

Entendendo o Simples Nacional: Um Guia para Empreendedores Iniciantes

O Simples Nacional é um regime tributário que oferece vantagens significativas para pequenas e médias empresas. No entanto, para empreendedores iniciantes, compreender os detalhes desse regime pode ser um desafio.

Neste guia, vamos explorar o Simples Nacional de maneira clara e acessível, fornecendo informações essenciais para quem está dando os primeiros passos no mundo dos negócios.

Vamos desvendar os benefícios, os requisitos e os procedimentos necessários para aderir ao Simples Nacional. Você descobrirá como calcular e entender os impostos, além de aprender como essa escolha tributária pode afetar a sua empresa.

Se você é um empreendedor iniciante em busca de informações sobre o Simples Nacional, está no lugar certo. Vamos começar a jornada de compreensão deste regime tributário simplificado e favorável às pequenas empresas.

O Que é o Simples Nacional?

O Simples Nacional é um regime tributário especial no Brasil que foi criado para simplificar o pagamento de impostos por parte das micro e pequenas empresas. Essa modalidade de tributação visa reduzir a burocracia e os custos fiscais, facilitando a vida dos empreendedores iniciantes e estimulando o crescimento desses negócios.

Sob o Simples Nacional, as empresas podem unificar diversos tributos federais, estaduais e municipais em uma única guia de pagamento, o que simplifica bastante o processo de recolhimento de impostos.

Esses tributos incluem o Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS), Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Programa de Integração Social (PIS), Contribuição para o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS).

Além disso, o Simples Nacional classifica as empresas em faixas de faturamento, determinando alíquotas de imposto progressivas. Isso significa que empresas com menor faturamento pagam menos impostos em relação às que faturam mais. Essa característica torna o regime especialmente benéfico para pequenos negócios.

O Simples Nacional também simplifica obrigações acessórias, como declarações fiscais e contábeis, reduzindo a papelada e os custos administrativos para as empresas.

Essa simplicidade torna o regime atraente para empreendedores iniciantes que desejam focar no crescimento de seus negócios, em vez de lidar com questões fiscais complexas.

No entanto, é importante notar que nem todas as empresas podem optar pelo Simples Nacional. Existem limites de faturamento e restrições relacionadas à atividade da empresa que determinam quem pode ou não se beneficiar desse regime tributário.

Benefícios de Optar pelo Simples Nacional

A opção pelo Simples Nacional oferece diversos benefícios para as empresas, especialmente para os empreendedores iniciantes. Esses benefícios ajudam a simplificar a gestão tributária e reduzir os custos para as micro e pequenas empresas. Vamos explorar alguns dos principais benefícios de optar por esse regime tributário:

  • Simplificação Tributária: Uma das maiores vantagens do Simples Nacional é a simplificação da tributação. As empresas podem unificar vários impostos em uma única guia de pagamento, o que reduz a burocracia e facilita o processo de recolhimento de impostos.
  • Redução de Custos: O Simples Nacional geralmente resulta em uma carga tributária menor para as empresas de pequeno porte em comparação com outros regimes tributários. Isso significa que as empresas pagam menos impostos, o que é especialmente benéfico para empreendedores iniciantes com recursos financeiros limitados.
  • Obrigações Acessórias Simplificadas: As obrigações acessórias, como declarações fiscais e contábeis, são simplificadas no Simples Nacional. Isso significa menos papelada e menos tempo gasto em conformidade tributária, permitindo que os empreendedores se concentrem em administrar seus negócios.
  • Progressividade Tributária: O Simples Nacional adota uma abordagem progressiva em relação às alíquotas de imposto. Empresas com menor faturamento pagam alíquotas mais baixas, o que ajuda a nivelar o campo de jogo para pequenos negócios e estimula o crescimento.
  • Facilidade de Cálculo: As empresas que optam pelo Simples Nacional podem calcular seus impostos de forma mais direta e simplificada, o que evita a necessidade de cálculos complexos e permite uma gestão financeira mais eficaz.
  • Redução de Riscos: Como as obrigações fiscais são simplificadas, há menos riscos de erros na conformidade tributária. Isso ajuda a evitar multas e penalidades por questões fiscais.
  • Estímulo ao Empreendedorismo: O Simples Nacional é uma ferramenta que estimula o empreendedorismo, tornando mais fácil para as pessoas abrir seus próprios negócios e contribuir para o crescimento econômico.
  • Competitividade: Empresas que optam pelo Simples Nacional muitas vezes podem oferecer preços mais competitivos devido à carga tributária mais baixa. Isso pode ajudar a atrair clientes e conquistar mercado.
  • Foco no Crescimento: Com menos preocupações tributárias e administrativas, os empreendedores podem se concentrar no crescimento de seus negócios, desenvolvendo estratégias e inovações.
  • Simplicidade na Contabilidade: O regime simplificado do Simples Nacional reduz a complexidade contábil, facilitando o trabalho do contador e economizando custos com serviços contábeis.

Conclusão

Em conclusão, o Simples Nacional é um regime tributário simplificado que oferece diversas vantagens para micro e pequenas empresas. Ele permite uma forma mais fácil de cumprir com as obrigações fiscais e contribui para a redução da carga tributária, o que pode representar uma economia significativa para os empreendedores iniciantes.

No entanto, é crucial entender que nem todas as empresas podem adotar o Simples Nacional. Existem critérios específicos relacionados à natureza jurídica, faturamento anual, atividades permitidas, entre outros, que devem ser cuidadosamente considerados.

Portanto, para empreendedores que estão iniciando seus negócios e desejam aproveitar os benefícios do Simples Nacional, é essencial buscar orientação de um contador ou especialista em tributação. Isso garantirá que a empresa esteja em conformidade com as regras do regime e possa usufruir de suas vantagens de maneira eficaz.

Inauguração da Franquia ZIP Contabilidade em Alpinópolis

É com grande entusiasmo que compartilhamos as imagens da inauguração da mais nova franquia da ZIP Contabilidade na encantadora cidade de Alpinópolis. Este evento marca não apenas a expansão da nossa rede, mas também um compromisso contínuo com a excelência em serviços contábeis, agora mais acessível do que nunca aos moradores desta região.

Com mais de 35 anos de experiência no mercado, a ZIP Contabilidade estabeleceu uma reputação sólida como uma das principais empresas do setor. Com unidades bem estabelecidas em Passos, Pratápolis, Itaú e Ribeirão Preto, temos o orgulho de trazer nossa expertise e compromisso com a qualidade para Alpinópolis.

A inauguração foi um momento de celebração e acolhimento, onde pudemos conhecer muitos dos membros da comunidade local e compartilhar nossa visão de oferecer serviços contábeis que impulsionem o sucesso dos negócios locais. Desde consultoria fiscal até assessoria contábil personalizada, estamos aqui para apoiar o crescimento e a prosperidade de empresas de todos os tamanhos.

Nossa equipe em Alpinópolis está ansiosa para servir e colaborar com empresários, empreendedores e profissionais locais, ajudando-os a navegar pelas complexidades do mundo financeiro e contábil. Estamos comprometidos em oferecer soluções sob medida que atendam às necessidades específicas de cada cliente, sempre com profissionalismo, integridade e dedicação.

Agradecemos sinceramente a todos que participaram deste momento especial e estamos empolgados com a jornada que temos pela frente em Alpinópolis. Juntos, construiremos um futuro de sucesso e prosperidade para nossa comunidade empresarial.

Se você ainda não teve a oportunidade de nos visitar, convidamos você a conhecer nossa nova franquia e descobrir como a ZIP Contabilidade pode ser seu parceiro confiável no caminho para o sucesso financeiro.

Junte-se a nós nesta emocionante jornada em Alpinópolis!

Confira algumas fotos desse momento único:

Novo Salário Mínimo R$ 1.412 começa a ser pago nesta-quinta-feira

A partir desta quinta-feira (1º), os trabalhadores começam a receber o salário mínimo oficial de R$ 1.412. O dinheiro, referente à folha de janeiro, é 6,97% maior que o salário de R$ 1.320, que vigorou de maio a dezembro de 2023.

O valor de R$ 1.412 corresponde à inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) acumulado nos 12 meses terminados em novembro, que totalizou 3,85%, mais o crescimento de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2022. Enviada pelo governo em maio, a medida provisória com a nova política de valorização do salário mínimo foi aprovada pela Câmara dos Deputados e pelo Senado em agosto.

Neste ano, foi retomada a política de valorização do salário mínimo, que garante aumento real do salário sempre que economia crescer.

Como funciona o salário mínimo? 

Como o nome já indica, o salário mínimo é a menor remuneração que um trabalhador formal pode receber no país.

A Constituição diz que trabalhadores urbanos e rurais têm direito a um salário mínimo, fixado em lei, nacionalmente unificado.

Pela Constituição, o salário mínimo tem que ser reajustado ao menos pela inflação, para garantir a manutenção do chamado “poder de compra”. Se a inflação é de 10%, o salário tem de subir pelo menos 10% para garantir que seja possível comprar, na média, os mesmos produtos.

Nos governos Michel Temer e Jair Bolsonaro, o reajuste do salário mínimo seguiu exatamente essa regra. Foi reajustado apenas pela inflação, sem ganho real.

O salário mínimo também gera impactos indiretos na economia, como o aumento do “salário médio” dos brasileiros e a elevação do poder de compra do trabalhador.

Aposentadorias

As aposentadorias com o novo valor começaram a ser pagas na última quinta-feira (25). Isso porque os benefícios equivalentes ao salário mínimo são pagos nos últimos cinco dias úteis do mês atual e nos cinco primeiros dias úteis do mês seguinte. O Benefício de Prestação Continuada (BPC) e o auxílio-doença também começaram a ser pagos no dia 25.

Seguro-desemprego

A faixa inicial do seguro-desemprego também foi reajustada conforme o salário mínimo. A partir de fevereiro, os benefícios relativos a janeiro subirão para R$ 1.412. O valor máximo também foi reajustado, para R$ 2.313,74. Embora o piso do benefício tenha seguido o reajuste do salário mínimo, o teto aumentou em 3,71%, equivalente ao INPC do ano passado.

PIS/Pasep

O abono salarial do Programa de Integração Social (PIS) e do Programa de Formação do Patrimônio do Serviço Público (Pasep) referente a 2023 começa a ser pago em 15 de fevereiro. Proporcional ao novo salário mínimo, o valor será calculado proporcionalmente em relação ao número de meses trabalhados com carteira assinada em 2021.

 

Se você precisa de suporte na área contábil e de departamento pessoal, entre em contato com a ZIP Contabilidade e tenha a tranquilidade de contar com uma equipe especializada ao lidar com questões relacionadas à rescisão de contrato, fiscal e contábil.